logo donadelas

Os 3 indicadores que mostram se seu negócio estagnou e como mudar isso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Sabe quando você percebe que sua empresa anda estagnada, não conseguindo sair muito do lugar? Sabe aquela sensação de que os negócios não estão indo para frente, que estão meio a banho-maria?

Pois é, identificar esse estágio é muito importante, eu diria até crucial, para que você não perca de vista a rota e não permita que seu negócio naufrague.

E para que sua empresa não entre nesse estágio, ter domínio dos indicadores financeiros é fundamental, pois eles são métricas que fornecem informações auxiliares à análise da performance do seu negócio.

Existem vários indicadores importantes, mas existem 3 que mostram se sua empresa está estagnada. Portanto, são 3 indicadores que podem tirar sua empresa da estagnação. Identificá-los e estudá-los são a nossa necessidade diária, mesmo quando bons ventos sopram sobre o nosso negócio.

São eles: lucratividade, ciclo financeiro e operacional e, por último, a necessidade de capital de giro. Vamos falar um pouquinho de cada um deles?

Lucratividade e Rentabilidade

Você sabe exatamente o que é lucratividade? Pois é, precisa saber!

Lucratividade é o índice que nos fornece, em percentual, a relação entre o lucro líquido sobre a receita bruta. Explicando em miúdos é o índice que avalia se sua empresa é capaz de pagar seus custos e despesas fixas e variáveis e ainda gerar lucro.

A rentabilidade é o índice que associa o lucro ao valor investido. É a métrica que indica se o negócio gera um bom retorno financeiro e a empresa consegue se pagar. São conceitos diferentes, e é importante observá-los. Ambos são indicadores-chave de desempenho do negócio.

Ciclo financeiro e operacional

Já ouviu a frase de que “Em terras de gestão quem tem CAIXA É REI”? 

Pois é, uma empresa que foca na boa gestão de caixa está sempre à frente de sua concorrência.

Mas o que é o ciclo financeiro e operacional? Trocando em miúdos, nada mais é do que a quantidade de vezes que os recursos investidos foram empregados, recuperados e trouxeram retornos para a empresa.

O ciclo operacional é o tempo que a empresa leva para transformar o seu estoque em receita de vendas. Ou seja, quanto tempo levou para a compra da muçarela, da farinha e do orégano se transformar em dinheiro em caixa.

Já o chamado ciclo financeiro – que também chamamos de ciclo de caixa – é o tempo do pagamento dos fornecedores até o recebimento do valor da venda dos produtos. É o caminho do dinheiro até o caixa.

Ambos têm relação entre si e geram grande impacto sobre o planejamento orçamentário da empresa.  Acredite – tudo isso pode ser medido e transformado!

Capital de giro

É simplesmente o dinheiro que sua empresa precisa ter em caixa para bancar seu funcionamento, para abrir as portas todos os dias. Com ele você paga seus fornecedores, colaboradores, impostos e demais custos e despesas operacionais. O capital de giro é a diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma das despesas e contas a pagar.

Ou seja, é vital para o bom funcionamento da empresa. Sem dinheiro em caixa, você vai atrasar boletos de fornecedores e de impostos, terá que pagar multas e juros, e isso não é nada bom para o seu negócio. É preciso se planejar para não ficar sem capital de giro.

Conclusão

A gente precisa medir os resultados e nossas operações, sempre. Muitos empreendedores acham que basta subtrair o que entrou pelo que vai sair do caixa, e se a conta der acima de zero isso significaria lucro. Mas isso é uma visão antiga e bem distorcida, porque o negócio tem muitas variáveis, como estoque, vendas a prazo e muito mais.

Eu sei que não é uma tarefa fácil, mas é preciso monitorar esses indicadores constantemente. Peça ajuda ao seu contador, olhe seu negócio com uma lupa, por mais pequeno que seja, vá no detalhe, e isso lhe possibilitará tomar decisões gerenciais muito mais assertivas. Inclusive, tirar sua empresa da estagnação.

Como você se sente após ler esse conteúdo?
+1
1
+1
3
+1
1
+1
0
+1
0

*Os textos de nossas colunistas são de inteira responsabilidade das mesmas e não refletem, necessariamente, a opinião da Donadelas.

Uma resposta

  1. Ótimo artigo.
    Estou exatamente nesta fase de passar a lupa, tirar produtos inativos, investir energia nos top 20 da loja.
    É difícil, dolorido, mas necessário.
    Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos da Autora

Assine a nossa newsletter