Saia da caixa para empreender!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Olá, tudo bem? Eu sou a Pri, tenho 26 anos e sou formada em Relações Públicas, apaixonada por pessoas, experiências e comunicação. Comecei a empreender em agosto de 2018, com 23 anos. Tinha uma ideia de negócio que eu havia conhecido dois anos antes num intercâmbio, que não saía da minha cabeça, então após eu ter plena certeza de que era aquilo que mudaria minha vida, resolvi arriscar.

Planejei tudo durante um mês, adaptei a ideia à minha cidade e desisti de todos os protocolos, passei madrugadas em claro, pesquisei, procurei parceiros, preparei um pequeno pitch da ideia e marquei uma reunião para a semana seguinte com os interessados. Fui atrás de freelancers para me ajudar porque o horário de trabalho entrava em conflito com as minhas aulas na faculdade. Muita gente não botava fé e até hoje vê meu trabalho como um hobby, só porque é extremamente divertido.

Comecei o negócio, estávamos na rua, caçando clientes, ninguém sabia o que a gente fazia. Parceiros pediram as contas na primeira semana, por termos poucos clientes. O negócio? Um tour noturno pelos bares da cidade. Só quem conhecia o pubcrawl, era quem já tinha feito o tour fora do Brasil, onde ele é bem mais antigo e mais conhecido há anos.

Com o tempo, a clientela foi aumentando, clientes do exterior e de todo o Brasil vieram. Eu era conhecida como “a guria do pubcrawl” por todo lugar onde eu passava. Meus amigos me apresentavam assim pra conhecidos e outros amigos. Em menos de 6 meses éramos matérias nos principais jornais locais impressos e online, blogs de dicas de turismo regionais e nas duas maiores redes de rádios do estado, numa delas, dando entrevista ao vivo.

Clientes pub
Clientes da Argentina, Peru, e São Paulo durante a Copa América no @poapubcrawl

Cada cliente era uma alegria enorme e então, começaram a me perguntar o que fazer durante o dia, se tinham outros tours comigo pela cidade em outros horários. Resolvi abraçar a ideia e acabei criando outros 7 tours. Todos sucessos.

Estudei muito, o triplo por fora da faculdade. Eu lia horrores de livros, eu tentava conseguir o máximo de informação possível. Tudo que era relacionado a empreendedorismo eu sabia. Internet? Site? Presença online?! Comigo mesma!

Em março de 2019, comecei um projeto para a faculdade, direcionado para mulheres, com encontros onde a gente conversava sobre preconceitos, medos, sociedade, empreendedorismo e tudo o mais que realmente faltava de informação. Fazíamos almoços, happy hours e encontros com até 10 pessoas trocando experiências. No final de todo encontro sempre alguém ficava pedindo ajuda e tirando alguma dúvida comigo. As pessoas me viam como mentora, praticamente! Como eu tinha conseguido tornar meu sonho real, tinha experiência.

Porto Alegre, Pri
Apresentando a cidade no tour diurno da @discoverpoa.online para uma cliente.

A vontade de transformar isso em um negócio existia, mas não sabia como ou o que eu faria. Em 2020, com a pandemia, encerramos os encontros e foi um golpe em mim, porque ambas as atividades me faziam bem. Comecei com Lives no instagram onde eu falava com amigas e conhecidas também empreendedoras da área da saúde, trabalhando em linha de frente, além de clientes dos tours para continuar fomentando o negócio. Surgiu a ideia de fazer tours online, mas a procura não é nem de longe a mesma que tinha antes, no presencial.

Então em agosto de 2020, me formei em Comunicação e comecei a atender online cobrando um valor insignificante para as meninas, ajudando elas com os próprios negócios, como mentora profissional estratégica. E assim começou a minha segunda empresa, a Girl Power: onde eu ajudo as meninas a criarem/melhorarem ou crescerem a própria empresa, a partir da minha experiência como empreendedora.

Encontro de Mulheres
Primeiro encontro da @girlpowerpoa em março de 2019

Além da rede de apoio que nós temos, tenho atendido às meninas de forma online, nos aspectos de construção do próprio negócio, ensinando tudo o que aprendi criando minhas duas empresas: desde propósito, à presença digital e online, relacionamento, planejamento e diferentes aspectos da comunicação e marketing digital. Temos as mentorias e os planos de assinatura de mentorias, como uma forma mais em conta e despreocupada de pagar pelo serviço.

As meninas costumam brincar que seria como uma ida à psicóloga, onde elas vêm e me falam todos os problemas que elas têm profissionalmente e empresariais e eu ajudo a apagar o fogo, montando um plano de ação e linha do tempo, pra gente conseguir trabalhar encontrando a melhor forma de atender à cada uma, com o que cada negócio precisa. E o que elas mais me reclamam é de já terem gasto rios de dinheiro com cursos de outros “profissionais”, enfiando pela goela os mil e um passo a passo que existem por aí e nada ter adiantado pra elas.

Tenho plena noção de que o problema é a quantidade de fake news de empreendedorismo existentes hoje, “canva pack’s” da vida, cursos de marketing digital para ajudar a revender cursos de marketing digital, os “6 em 7” da vida, entre outros, que insistem em colocar todo mundo na mesma caixinha, sendo que existem triângulos, círculos e trapézios e muitos outros formatos espalhados por aí. E eu sou a prova viva disso!

De uma empresa de turismo e experiências diversas, vim trabalhar com a comunicação, que é completamente diferente. Então, no fim das contas, com a Girl Power, eu tento enaltecer essa individualidade de cada negócio, respeitando e pensando na persona que cada uma tem, de forma que o público consiga se identificar com elas e pelas suas propostas, que é exatamente o que têm acontecido.

girl power meeting
Mentorias da @girlpowerpoa durante a pandemia em 2020

A maioria das minhas clientes me encontram por indicação de outras clientes e o que elas mais ressaltam, além dos resultados e da felicidade em ver as pessoas percebendo as mudanças e melhorias no negócio delas, é o relacionamento que tenho com elas, onde trato todas de igual pra igual, com transparência e honestidade.

Não acredito que a filosofia de passar a mão na cabeça de alguém que faz errado algo que já foi explicado ou que deixa a pessoa levar como quiser só por estar pagando, resulta em algo positivo. Então, quando necessário, eu puxo a orelha, eu dou choque de realidade e faço entender que na verdade, estão colocando dinheiro fora insistindo em algo que não traz resultado. Não é fácil, mas ver elas conseguindo pensar, planejar e fazer as coisas sozinhas, entendendo como funciona e analisando da forma correta, é muito gratificante.

O feedback vai além do “eu amo teu trabalho” e do “me endivido toda mas não fico sem ti!”, ele também acontece quando elas ganham e se superam. E é por isso que eu sou apaixonada pelo empreendedorismo e tudo o que ele engloba.

Por fim, atualmente vocês podem me encontrar aqui na Donadelas @girlpowerpoa , também no  Instagram como @pritrelles ou @maizzonline. E ainda pelo site https://www.maizz.com.br/maizzempreendedorismo

Eu sou a Pri, empreendedora e empresária na Espaço Discover POA e Maizz Empreendedorismo e será um prazer atender vocês em qualquer lugar do mundo, ou aqui mesmo, em Porto Alegre quando toda essa loucura acabar!

http://www.donadelas.com.br/@girlpowerpoa

Como você se sente após ler esse conteúdo?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

*Os textos de nossas colunistas são de inteira responsabilidade das mesmas e não refletem, necessariamente, a opinião da Donadelas.

3 respostas

  1. Ainnn gente estou sentindo na pele o que é empreender, muito mais do que por os sonhos em prática e sim como por em prática, me sinto perdida com tantos nichos (no meu caso comida saudável) que me boicoto o tempo todo achando que estou fazendo tudo errado …. insônias e insônias…

    1. A gente também adorou conhecer sua trajetória, Pri!!! A Donadelas é a sua casa, vamos construir juntas perspectivas mais favoráveis às mulheres empreendedoras!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter